Frase preferida

Não sei ...se a vida é curta ou longa demais para nós, Mas sei que nada do que vivemos Tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas Cora Coralina

O nome da gata



Shinji
e linda amiga
Aiko-chan
Há muitos e muitos anos, numa pequena cidade no interior do Japão vivia um casal de velhinhos. Eles levavam uma vida feliz e tranqüila e amavam a natureza. Certo dia quando os velhinhos visitavam um templo, o monge deu a eles uma gatinha que havia nascido sob o assoalho do pavilhão de orações.
O velhinho e a velhinha receberam a linda gatinha como quem recebe uma graça divina. Eles não tinham filhos e sentiram que podiam criar aquele pequeno animal com todo carinho e dedicação. Enquanto voltavam para casa foram discutindo qual nome dariam para a gatinha.
-Vamos dar o nome de uma pessoa forte e valente para que nossa gatinha seja sadia e corajosa - disse o velhinho.
-Sugiro que seja Musashi-bo Benkei, pois é um forte e valente guerreiro e ao mesmo tempo, um monge dedicado - respondeu a velhinha.
-Seria um nome perfeito se Benkei não fosse nome de homem. Nossa gatinha tem que ter nome de mulher.
-Que tal Tomoe Gozen, nome da mais forte mulher guerreira do Japão. Ela participou de várias batalhas cavalgando pelos campos, vestida de armadura e brandindo sua mortal naguinata (alabarda). Lutou ao lado do marido Minamoto no Yoshinaga, até tomar a capital do Japão e expulsar os poderosos de Heian-kyo (capital do antigo Japão).
-Tomoe Gozen, pode ser um nome interessante, porém é um nome muito comprido. Para chamar nossa gatinha será preciso repetir - Tomoe Gozen, Tomoe Gozen, Tomoe Gozen...ah! é comprido demais.
Assim os velhinhos continuaram pensando em qual nome colocar na gatinha, quando chegam em casa. Um vizinho que os viu chegar foi logo perguntando.
-Oh! Que linda gatinha, qual é o nome dela?
-Pois estávamos pensando exatamente em qual nome dar para ela. Tem alguma sugestão?
-Deixe-me ver...acho que Tora (tigre) combina com as manchas na pele dela.
-Pensando bem é um bom nome, pois o tigre é um animal forte e destemido.
Assim a gatinha passou a ser chamada de Tora, sendo tratada com muito carinho.
No dia seguinte o casal brincava com a gatinha chamando Tora pra cá e Tora pra lá. Nisso a mulher do vizinho que observava do portão perguntou:
-Pôr que deram o nome de Tora para um bichinho tão delicado?
-A sugestão foi de seu marido, e nós aceitamos porque queremos que nossa gatinha cresça muito forte.
-Ah! Meu marido não sabe nada. O animal mais forte que existe é o dragão. Se lutarem dentro d’água, o dragão vence o tigre facilmente.
O casal concluiu que a vizinha tinha razão e mudaram o nome da gatinha para Dragão.
Alguns dias depois, passou por ali um andarilho e comentou:
-É a primeira vez que ouço uma gatinha sendo chamada de Ryu (dragão). Por que puseram um nome tão diferente para uma gatinha?
Mais uma vez o velhinho explicou que era um nome sugestivo para a gatinha crescer forte.
-Realmente o dragão é um animal muito forte, porém, todos nós sabemos que em dia de grande tempestade, o dragão sobe nadando na chuva e penetra numa nuvem para chegar ao céu. Portanto, se não fosse a nuvem ele jamais chegaria ao céu. Isso significa que a nuvem é mais forte que o dragão.
O casal pensou, pensou e concluíram que o andarilho tinha razão. Assim mudaram o nome da gatinha para Kumo (nuvem). O andarilho seguiu sua caminhada e chegando ao castelo mais próximo comentou o que tinha acontecido.
Na época havia na corte muitos debates culturais. Os intelectuais discutiam incansavelmente durante anos à fio, qual era a estação do ano mais bonita: a primavera ou o outono. Também faziam debates para saber qual a flor mais bonita: a cerejeira (Sakura) ou a ameixeira (Ume). Houve então, grande interesse em sugerir o nome da gatinha pelos intelectuais do castelo. Um deles foi até o vilarejo e sugeriu ao casal que mudasse o nome da gatinha que agora chamava Kumo (nuvem), para Kaze (vento).
-Por que Kaze, perguntou o velhinho.
-Ora, pense bem. Um sopro de vento e a nuvem dissipa-se toda. Por isso é melhor dar o nome de Kaze (vento).
O bom velhinho pensou um pouco e concluiu que o cortesão tinha razão. Assim o nome da gatinha foi mudado para Kaze.
Nisso chegou outro intelectual da corte e questionou:
-Ora Kaze não me parece forte suficiente. Estive observando no último vendaval que o vento destelhou muitas casas, mas não conseguiu derrubar as paredes. Isso significa que Kabe (parede) é mais forte que Kaze (vento).
O argumento pareceu muito convincente ao velhinho e mais uma vez o nome da gatinha foi mudado para Kabe (parede).
-Acho que Kabe será seu nome definitivo, disse o velhinho olhando satisfeito para a gatinha.
Nisso a velhinha fez uma observação:
-Parede não é tão forte assim. Veja ali aquele buraco. Foi o Nezumi (rato) quem fez.
-Então precisamos mudar o nome dela para Nezumi.
-Gato com nome de rato não fica muito bem, e rato tem medo de Neko (gato)...
-Realmente, o gato é mais forte que o rato. Então vamos chama-la de Gatinha. E assim passaram a chamar a gatinha de Gatinha e parece que foi uma medida acertada, pois ninguém mais deu palpite no nome dela.

Claudio Seto
http://www.nippobrasil.com.br




    Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More


3 Responses So Far:

Dú Pirollo disse...

Minha querida amiga Rose, bom dia!!!
Que belo conto, adorei conhecer o conto da gatinha!!!
Muitas vezes damos tantas voltas para escolher uma coisa e esta bem na cara, bem próximo...
Tenho um gato bem grande que se chama Gatão, acabou ficando apelidado de Tão... rsrsrsrs...
Parabéns pela excelente postagem, adorei minha amiga!!!
Beijos no coração e muita paz!!!

Carla Farinazzi disse...

Olá, Rose! E digo boa-noite porque no Brasil ainda é meia-noite e onze.

Gostaria de poder ajudá-la, no blog da Jackie (http://fenix-mulheres.blogspot.com/2010/10/rose-nakamura-uma-fenix-na-terra-do-sol.html)fiquei sabendo de sua história e me apaixonei. Quero vê-la no Brasil!!!

Como posso ajudá-la neste regresso?

Um beijo

Carla

EU CREIO.... disse...

Adorei a mensagem. Sempre procuramos algo em vários lugares,as vezes, muito distantes, por ter a certeza de encontrá-lo, Porém é só olhar para nós mesmos e ver que está aí o que procuramos. E, o mesmo, se dá na procura de Deus. Vamos em templos, montanhas, terras santas. Quando Deus está dentro de nós mesmo. Beijos

Olá não estamos aceitamos comentários anônimos.

2leep.com

publicidade